A minha canção podia arder-me – 17 de novembro, 21h30, Sociedade Guilherme Cossoul

Leituras
Coordenação Livraria Snob (Duarte Pereira e Rosa Azevedo)
Com Cláudio Henriques e Inês Lago (actores) e Carolina Amaral (desenho do espectáculo)

Só a intuição de um leitor serve para distinguir um escritor apenas artífice de um escritor cuja canção lhe pode arder. Ouviremos, como canções que ardem, textos de Maria Zambrano, Artaud, Maria Gabriela Llansol, Ernesto Sampaio e outros com escritas igualmente sombrias, interiores, orgânicas: escritas que não são respostas mas sim criações constantes de dúvida.

Entrada livre, sujeita à lotação da sala.

Fotografias: Vitorino Coragem

Anúncios

Os comentários estão fechados.

Site no WordPress.com.

EM CIMA ↑

%d bloggers like this: