Uma máquina voadora movida por vontades – 16 de novembro, 21h00, Fundação José Saramago

Teatro
95ª aniversário de José Saramago
Abertura dos Dias do Desassossego

Performance comemorativa dos 35 anos da obra Memorial do Convento, de José Saramago. A obra, ela mesma uma máquina movida pela vontade, será celebrada, relembrada, relida, desviada e relacionada com outras histórias, com André e. Teodósio/Teatro Praga, Rafael Esteves Martins e Ana Ribeiro num dispositivo que plana. Um projeto de Anabela Mota Ribeiro, apresentado pela primeira vez na Feira do Livro do Porto.

Entrada livre, sujeita à lotação da sala.

 

Fotografias: José Frade/EGEAC

Anúncios

A minha canção podia arder-me – 17 de novembro, 21h30, Sociedade Guilherme Cossoul

Leituras
Coordenação Livraria Snob (Duarte Pereira e Rosa Azevedo)
Com Cláudio Henriques e Inês Lago (actores) e Carolina Amaral (desenho do espectáculo)

Só a intuição de um leitor serve para distinguir um escritor apenas artífice de um escritor cuja canção lhe pode arder. Ouviremos, como canções que ardem, textos de Maria Zambrano, Artaud, Maria Gabriela Llansol, Ernesto Sampaio e outros com escritas igualmente sombrias, interiores, orgânicas: escritas que não são respostas mas sim criações constantes de dúvida.

Entrada livre, sujeita à lotação da sala.

Passeios Literários – 18 e 19 de novembro, 10h30

Bilhete simples (uma visita) €3.69
Bilhete duplo (duas visitas ou duas pessoas) €6.15
Outras condições para maiores quantidades
Lotação limitada/Marcação prévia: lisboa.cultural@cm-lisboa.pt 218 170 742
(das 10h30 às 12h30 e das 14h30 às 16h00)

Lisboa de Fernando Pessoa
Sábado, 18 de novembro, 10h30

Fernando Pessoa passou praticamente toda a sua vida adulta em Lisboa, frequentando os cafés, restaurantes, teatros e tertúlias. Este percurso segue os passos do poeta, desde o Largo de São Carlos, onde nasceu, até ao Martinho da Arcada, onde tomou o seu último café.

José Saramago e o Memorial do Convento
Domingo, 19 de novembro, 10h30

Em 1982, José Saramago publicava Memorial do Convento, que evoca no título e na narrativa a grande empreitada da construção do Convento de Mafra. A Lisboa aí descrita, e os inesquecíveis Baltazar e Blimunda, são os guias deste percurso literário com início no Largo de São Domingos e término na Casa dos Bicos.

Postais desassossegados – 18 de novembro, 16h00, Fundação José Saramago

Oficina para crianças
Com Oficina do Cego

Duração: 60’
Preço: 3 euros/criança
A partir dos 6 anos
Lotação limitada /Marcação necessária:
secretaria@josesaramago.org

O que podemos fazer com uma palavra? Virá-la ao contrário? Trocar-lhe as letras? Enviá-la em postais? Carimbos e tipos vão servir para descobrir o avesso das letras que fazem a palavra desassossego – e de outras de que sejam chamadas à oficina.

145 Poemas, de Konstantinos Kaváfis – 18 de novembro, 18h30, Casa Fernando Pessoa

Lançamento de livro
Com José Lima, José Luís Costa e Diogo Dória (leituras em português). Moderação de Tamina Sop.
Duração: 75′

Kaváfis é um dos criadores mais originais da poesia europeia. A FLOP uma editora que se propõe publicar apenas, e sem concessões, altíssima literatura. 145 poemas foram agora traduzidos do grego por Manuel Resende numa edição FLOP que se celebra nos Dias do Desassossego, com uma conversa e leitura de poemas nas línguas de chegada e de partida.

Entrada livre, sujeita à lotação da sala.

Biblioteca dos Músicos – 22 de novembro, 21h00, Teatro São Luiz

Concerto
Com Filipe Raposo e Filipe Melo
Preçário: 12 € (com descontos)

Dois pianos em palco – e também o público. Vamos poder ouvir e ver de perto como Filipe Raposo e Filipe Melo passam dos livros à música.
Para esta edição dos Dias do Desassossego, perguntámos aos dois pianistas se queriam abrir ao público as suas bibliotecas. Convidámo-los para nos falarem, com palavras ou teclas segundo as preferências, dos livros que os motivam e fascinam.
Através de composições suas ou de temas de outros músicos, saberemos como é o lado leitor dos dois pianistas, que nos apresentarão dois inéditos, um para Fernando Pessoa e outro para José Saramago. Há romances, poemas, personagens e cidades sem sítio que sejam banda sonora da música que fazem? Há terra sobreposta entre leitura e composição?

Dias do Desassossego é um programa que a Casa Fernando Pessoa e a Fundação José Saramago propõem todos os anos entre 16 (nascimento de Saramago) e 30 de novembro (morte de Pessoa). Mesas-redondas, leituras, música, arte urbana – tendo sempre os livros como mapa e tema. Este ano, depois do trio de Mário Laginha (2015) e do quarteto de André Fernandes (2016), teremos os dois Filipes para A Biblioteca dos Músicos, a partir da ideia original do São Luiz no passado mês de junho.

Clara Riso (Diretora da Casa Fernando Pessoa)

Comprar bilhetes

 

Dante e o seu poema sacro – 23 de novembro, 18h30, Casa Fernando Pessoa

Aula
Com António Mega Ferreira

Podemos explicar um livro sem desmontar o mecanismo intransmissível da leitura? Convidámos António Mega Ferreira para uma aula – uma apresentação sobre um livro que lhe é essencial, e fundamental também para nós. Traz-nos A Divina Comédia, de Dante Alighieri, “poema sagrado, no qual puseram mão o céu e a terra”.

Entrada livre, sujeita à lotação da sala

 

Cegueira na Tabacaria – 24 de novembro, 21h30, B.Leza

Leituras
Com participantes na oficina Afrolis

Nos Dias do Desassossego continuamos a interagir com grupos em situação de exclusão social e provável afastamento dos livros. Afrolis, associação para a liberdade de expressão de afrodescentes é nossa parceira este ano. Leituras em português e crioulo de textos de Saramago e Pessoa pelos participantes nesta oficina com coordenação de Carla Fernandes, numa apresentação pública a fechar a semana de trabalho.

Entrada livre, sujeita à lotação da sala

Não sei o que o amanhã trará: um passeio sonoro na Lisboa de Fernando Pessoa – 25 de novembro, 10h30, Largo de São Carlos

Passeio literário

Lançamento de um documentário sonoro que conta a história da vida e da obra de Pessoa. Desde o Largo de São Carlos até ao Cemitério dos Prazeres, passando pela baixa da cidade e pela Casa Fernando Pessoa, vamos ouvir histórias de Pessoa na voz de quem o conheceu e de quem celebra a poesia dentro da biografia. Um projeto de Sofia Saldanha para usar na cidade e disponível online a partir deste dia.

http://www.fernandopessoatour.com

Site no WordPress.com.

EM CIMA ↑