Não sei o que o amanhã trará: um passeio sonoro na Lisboa de Fernando Pessoa – 25 de novembro, 10h30, Largo de São Carlos

Passeio literário

Lançamento de um documentário sonoro que conta a história da vida e da obra de Pessoa. Desde o Largo de São Carlos até ao Cemitério dos Prazeres, passando pela baixa da cidade e pela Casa Fernando Pessoa, vamos ouvir histórias de Pessoa na voz de quem o conheceu e de quem celebra a poesia dentro da biografia. Um projeto de Sofia Saldanha para usar na cidade e disponível online a partir deste dia.

http://www.fernandopessoatour.com

Anúncios

Acontece-me um poema – 25 de novembro, 16h00, Casa Fernando Pessoa

Oficina para crianças
Com Miguel Cardoso
Duração: 120’
Preço: 4 euros/criança
Dos 7 anos aos 11
Lotação limitada /Marcação necessária: servicoeducativo@casafernandopessoa.pt

Fernando Pessoa dizia: «Aconteceu-me um poema». Sophia de Mello Breyner escreveu que, com ela, se passava algo parecido: o poema «é como um ditado que escuto e noto.» O poeta, diz ela, é «um escutador». Nesta oficina, vamos conversar sobre esta ideia de «escutar» um poema, revirá-la e desmontá-la em conjunto e em voz alta. A partir disso, e da leitura de alguns poemas, tentaremos ensaiar diferentes formas de ouvir alguma coisa, qualquer coisa, e nela ver poemas por fazer. Cada um procurará fazer acontecer um poema, que é ao mesmo tempo desarrumar e arrumar palavras e ideias e, por fim, partilhá-lo.

Alma em Pessoa e os outros – 26 de novembro, 17h00, Largo de São Carlos

Leituras
Com Dinis Gomes, Duarte Guimarães, Rita Durão, Ricardo Aibéo e Sofia Marques. Colaboração de João Constâncio

Textos chamam outros textos, como livros chamam outros livros. Quem leu o Livro do Desassossego de Fernando Pessoa como o livro-chave para a alma do poeta traz-nos textos que o completam, questionam, contradizem. Ouviremos textos literários, filosóficos, de vários géneros e muitas épocas, contaminando uns com o eco de outros – e também a quem ouve e lê.

Entrada livre

Leitores feitos de livros – Fundação José Saramago, 28 de novembro, 18h30

Mesa-redonda
Com Mamadou Ba, Joacine Katar Moreira, Flávio Almada. Moderação de Joana Gorjão Henriques

São os livros que lemos que fazem de nós os leitores – as pessoas – que somos.
Mamadou Ba, dirigente do SOS Racismo, Joacine Katar Moreira, investigadora, e Flávio Almada, rapper e ativista, trazem as suas histórias com a leitura para uma conversa moderada por Joana Gorjão Henriques.

Entrada livre, sujeita à lotação da sala

Ler e dar a ler – 29 de novembro, 18h30, Fundação José Saramago

Mesa-redonda
Com Teresa Calçada (Comissária do Plano Nacional de Leitura), Graça Batista (Bibliotecária de Vila Velha de Ródão) e Marina Palácio (Artista-educadora das “Oficinas de Leitura e Criatividade – Educação pelo Livro, Arte e Natureza”). Moderação de Rita Pimenta

Sabemos que nos livros encontramos mais perguntas do que respostas – e é por isso mesmo que gostávamos e precisamos de ler. Mas como se contamina alguém com esta necessidade e como se faz com que as perguntas com que saímos dos livros sejam essenciais para mais gente? Ouvimos as respostas (e as perguntas) de quem faz do seu trabalho ler ou mais do que isso: dar a ler.

Entrada livre, sujeita à lotação da sala

Ruído vário – 30 de novembro, 21h00, Casa Fernando Pessoa

Concerto
24ª aniversário da Casa Fernando Pessoa 

Com Ana Deus e Luca Argel
Preçário: 8 euros/com descontos 

(reservas: info@casafernandopessoa.pt)

Encerramos os Dias do Desassossego de 2017 com um espetáculo inédito, especialmente criado por Ana Deus e Lucas Argel para esta ocasião. Estes dois músicos juntam as várias vozes do poeta às suas, num mesmo coro. A aposta é “ouvir o ruído que resulta, cantar sobre ele. Buscar, entre seus sons de relógio, de chuva, do café ao lado, um hálito de música. Impregná-lo nas palavras de Pessoa.”

Fernando Pessoa morreu a 30 de Novembro de 1935 – e a casa onde morou abriu as portas ao público no mesmo dia, há 24 anos. Aqui viveu os últimos 15 anos de vida, aqui mora agora a sua biblioteca particular e estão vivos os seus múltiplos textos e interesses.

Ao longo de todo o dia 30 de Novembro a entrada na Casa Fernando Pessoa é livre e é a gratuita a visita guiada às 15h00.

Programa paralelo – de 16 a 30 de novembro

Arte Urbana
DisquietHeart
Tamara Alves
Cais do Sodré
A partir de dia 16 de Novembro 

Cidade de Pessoa e Saramago, Lisboa recebe numa das suas paredes a intervenção de Tamara Alves para o programa deste ano. “Se tens um coração de ferro, bom proveito. O meu, fizeram-no de carne, e sangra todo o dia”: palavras de Saramago que motivaram esta proposta que podemos ver nascer a partir do primeiro dos Dias do Desassossego, numa colaboração com a GAU – Galeria de Arte Urbana. 

Oficina
Narrativas de proximidade: Oficina Cegueira na Tabacaria
Afrolis
20 a 24 de novembro
Apresentação ao público
24 de novembro, 21h30
B.Leza
Cais Gás 1, 1200 Lisboa

Durante cinco dias, jovens lêem em grupo parte de Ensaio sobre a Cegueira, romance de José Saramago, e de Tabacaria, poema de Álvaro de Campos. Procuram referências às ideias de exclusão, privação, impotência, identidade, comunidade. Apropriam-se dos textos, reflectem, traduzem-nos excertos para o crioulo e partilham com o público o resultado em leitura encenada. Uma oficina desenvolvida pela Afrolis, associação cultural que trabalha para a liberdade de expressão e opinião de afrodescentes, com coordenação de Carla Fernandes.

Create a free website or blog at WordPress.com.

EM CIMA ↑